Clique aqui para navergar no Website
 
     
Animal Manager - O site de tecnologia animal - Cães, Gatos, Aves, Peixes, Cavalos, Roedores e muito mais...
INFORMAÇÃO CRIADOR ON-LINE
ENTREVISTAS
  Painel de Controle Cadastre-se Índice Atualizar Voltar  

Vinhedo, 18 de abril de 2004. - Entrevistado: Marcel Esteves - ACAMPIT


SOBRE A ACAMPIT
(Associação dos Criadores do American Pit Bull Terrier de Campinas e Região)

Criador on-line: O que é a que se destina a ACAMPIT?
Marcel Esteves: A ACAMPIT é uma associação sem fins lucrativos criada a partir da necessidade de se profissionalizar a prática desportiva dos cães, mas principalmente para criar um local, condições e profissionais altamente qualificados para o treinamento e adestramento dos cães à prática dos esportes. A ACAMPIT está desempenhando um papel unificador das vontades dos praticantes deste empolgante esporte, e com isso, iremos divulgar e aperfeiçoar as técnicas e os animais cada vez mais. Outro papel importante da ACAMPIT (filosofia) é desmistificar a imagem de cães violentos. Acreditamos que o cão é o que o dono quer, ou deixe, o que ele seja. É extremamente importante um adestramento adequado e voltado especificamente ao Pit Bull e ao Bull Terrier (cães com muita energia e determinação), e para tanto, a ACAMPIT vai massificar palestras informativas à população de forma geral, inserções periódicas de matérias em revistas e jornais sobre o assunto, treinamentos de adestramento aos cães, mas principalmente, conscientizar o criador do cão de que ele não está lidando com um cão nos padrões normalmente conhecidos, mas com um exemplar da espécie canina que exige cuidados específicos.

Criador On-line: O que levou vocês a criarem a ACAMPIT?
Marcel Esteves: Os criadores de Pit Bull são “meio fanáticos”. Todos querem que seu cão seja o mais bonito, o mais obediente, o mais forte, o que pule mais alto, enfim, os donos destes cães realmente se dedicam a eles. O que ocorre é que, até em função da discriminação que algumas pessoas possuem ao animal, é difícil hoje encontrar algum lugar tranqüilo e seguro para exercitar os dogs e treiná-los adequadamente. Não existe nenhum lugar com destinação exclusiva à prática e principalmente ao treinamento de cães (não precisam ser necessariamente Pit ou Bull Terrier) que possuem aptidão para o esporte. Outro motivo importante para a criação da ACAMPIT, é que mesmo que o cão não seja agressivo, se você treiná-lo num lugar aberto ao público ou na rua, sempre estará se arriscando a acidentes se o dono não exercer um bom controle sobre o cão, principalmente com outros cães que eventualmente estejam soltos no local. Se um Pit Bull sai em direção a uma pessoa para brincar (como já ocorreu comigo), se esta pessoa for medrosa ou não conhecer as atitudes de um cachorro, ela já irá comentar que foi “atacada” pelo cão, e que este é uma fera. Então, para evitar estes lamentáveis acontecimentos, acreditamos que se deva fazer um treinamento adequado, em local e com equipamentos apropriados, com auxílio de pessoas especializadas.

Criador On-line: Quantos associados vocês já possuem e como se associar a ela?
Marcel Esteves: A ACAMPIT é bebê. Esta criada há três semanas. Quando começamos a divulgar esta idéia, tomamos um susto: A quantidade de interessados e de pessoas querendo colaborar foi espantosa. Tivemos que agilizar o nome e a página da internet para poder atender a todos de forma mais ágil. Criamos, para poder atender às dúvidas, um cadastro no site para conhecermos melhor as necessidades e o perfil de cada criador, para assim, com uma visão ampla das reais necessidades dos interessados, nós podermos ajustar nossa estrutura de forma mais adequada e menos onerosa a todos. Não existe nenhum associado hoje, porque ainda não temos o valor do custo a ser cobrado de cada um. Nós temos sim, até o momento, noventa cães cadastrados e interessados na associação. Nós solicitamos aos interessados que acessem nossa página e se cadastrem. É gratuito, e nós iremos informar aos cadastrados de todos os passos da associação, bem como de eventos ligados à cinofilia e principalmente ao esporte.

Criador On-line: Quais as vantagens o criador ou proprietário de American Pit Bull Terrier teria se associando a ACAMPIT?
Marcel Esteves: A ACAMPIT não possui fins lucrativos, e por isso, todo o custo das operações será partilhado entre os associados. A primeira vantagem, então, é o baixo custo que o associado terá mensalmente para manter uma estrutura e profissionais adequados que lhe instruirão quanto à melhor forma de treinar e exercitar seu cão. As vantagens, entretanto serão inúmeras. O associado estará sendo amparado por uma entidade que irá, antes de tudo, lutar pela saúde física e integridade moral do animal. Como advogado, posso assegurar que o participante da associação terá toda a orientação jurídica quanto à legislação que hoje tenta “aprisionar” o Pit Bull (e também os demais cães que são considerados “mordedores” – como se os demais cães do mundo não mordessem!). A Associação irá orientar seu ente desde a aquisição de um cão, de qualquer raça, indicando rações, vacinas e primeiros procedimentos quanto à educação, participando efetivamente de seu crescimento, proporcionando atividades adequadas e saudáveis, até sua fase adulta. O associado também terá vantagens em preços de inscrições para campeonatos e exposições, rações, suplementos, aparelhos e coleiras, vantagens e facilidades para a obtenção do RI (Registro Inicial) e também para o pedigree. O associado na ACAMPIT, também será, como representado desta, associado no Pit Bull Club do Brasil (entidade a nível nacional, sediada no Rio de Janeiro), na CBKC, no Clube do Pit Bull do Estado de São Paulo, e nas demais instituições governamentais que regulam a cinofilia no Brasil. Enfim, o associado poderá contar com a maior e mais adequada estrutura desenvolvida para a saúde e proteção de seu cão.

Criador On-line: Você diz que a ACAMPIT está disponibilizando espaço para se construir o maior complexo canino do Brasil na cidade de vinhedo. O que já existe e o que ainda há por fazer nesse complexo?
Marcel Esteves: A área em que a ACAMPIT está instalada possui 42.000 metros quadrados, sendo que aproximadamente 20.000 destes, se localizam exatamente na região frontal à Rodovia Anhanguera. Este projeto conta com toda uma estrutura para treinamento físico, sendo campos de areia, piscinas, esteiras, aparelhos para tração (peso), rampas, paredes para escalada, local para emergências médicas, pet shop completo, venda de filhotes (estamos montando na página um “banco de filhotes”), canil para criação de nossos cães, canil para aguardo e repouso de cães que não estejam nas pistas, equipe própria (cães próprios) para disputa de campeonatos, promoção de eventos, local adequado e preparado especialmente para convenções de exposições, arena para o público prestigiar os campeonatos de esportes e exposição, agility.
Enfim, possuímos o espaço e uma localização privilegiada (pois é num trecho de uma rodovia que é uma vitrine para o Brasil) onde poderemos estudar muitos atrativos voltados ao mundo pet e esportivo canino.
Hoje já estamos montando 2 pistas para a prática de modalidades esportivas, que contará à princípio, numa primeira fase, com o salto em distância, a tração o salto livre e a escalada. Serão construídos alguns canis, para o repouso do cão que não estiver praticando, além de uma lanchonete para atender ao público e donos dos cães.
Ainda há muito o que fazer para se chegar ao ideal deste complexo que acreditamos que vá existir. Para isso, precisamos que esta primeira fase obtenha sucesso para atrair novos parceiros e mais associados, e assim, a associação irá se fortalecendo e agregando gente boa que colabore neste ideal.

Criador On-line: Esse complexo será restrito ao Pit Bull ou aberto a todas as raças?
Marcel Esteves: De forma alguma. Este complexo estará aberto à todas as raças, grandes ou micros. O Pit Bull é uma raça em evidência hoje, e que por sua energia e estrutura, necessita que um ambiente adequado e um pouco mais especializado. Qualquer cão, Pastor, Dobermann, Fox Paulistinha, São Bernardo, “vira lata” que esteja apto para praticar o esporte pode e deve participar. A saúde do cão não se restringe à saúde do “Pit Bull”. Ele é, por sua natureza, um cão mais determinado, obstinado, e por isso se destaca no esporte. Talvez com treinamentos adequados, outras raças possam surpreender em algumas modalidades esportivas.

Criador On-line: Como o criador ou interessado pode investir neste complexo?
Marcel Esteves: Primeiramente a pessoa, seja ela física criadora ou não de cães, ou jurídica, deverá entrar em contato conosco através do site www.acampit.com.br, ou enviar e-mail para contato@acampit.com.br. Nós iremos marcar uma reunião no local e estudarmos a proposta que melhor se ajuste aos anseios da associação. Qualquer investimento, entretanto, o será sob a forma de parceria.

Criador On-line: Qual é a data prevista para o início e término da construção do Complexo?
Marcel Esteves: A construção (reforma e ajustes) já está em andamento. Acreditamos que até o meio de Maio a primeira fase já esteja concluída e iniciaremos os encontros e as brincadeiras com os cães. Neste momento já sabermos os custos fixos e a perspectiva de investimentos para se aprimorar o local, sempre visando o ideal do complexo. Em Junho, estamos estudando a realização de um evento em local público, levando à população a prática destas modalidades esportivas que ainda não são popularmente conhecidas, para que com isso, nós possamos reverter, ao menos um pouco, a imagem agressiva do cão. Levaremos também, o “agility” (outra prática esportiva para cães, que não visa tanto a força e energia física, mas sim a agilidade), venda de equipamentos e produtos pet, venda de filhotes de diversas raças.
Enfim, um evento voltado ao cão de maneira geral. Neste dia, nós daremos a publicidade devida à ACAMPIT, e a abriremos de forma ampla e geral ao público interessado.

Criador On-line: Você diz que no complexo haverá Veterinários especializados na raça American Pit Bull Terrier. Como é um veterinário especializado numa determinada raça, ou seja, qual é o diferencial acadêmico dos veterinários comuns que o tornaria especialista em Pit Bulls?
Marcel Esteves: Minha formação é jurídica, e assim, sou formado em direito. A especialização (criminal, trabalhista ou tributário) é decorrente de cursos e experiências. Na medicina veterinária também o é. O médico veterinário se forma igualmente como um outro. O veterinário especialista em Pit Bull é aquele que conhece profundamente sua história, acompanha a evolução da raça e a introdução dela em nosso pais; se intera quanto aos exercícios apropriados, a alimentação adequada, a intensidade e os limites suportados pelos cães da raça; conhece os defeitos e os exercícios que não poderão realizar; conhece as tendências do cão bem como o temperamento dos seus ancestrais, e assim procura amenizar padrões indesejáveis, como no caso a agressividade, e acentuar os padrões desejáveis, como a pouca gordura, o gameness (determinação), boa musculatura, equilíbrio emocional, obediência.
Não existe “diferencial acadêmico”, mas sim maior conhecimento e maior comprometimento para com o aperfeiçoamento da raça.
Nós contamos hoje com alguns veterinários criadores antigos da raça, treinadores e também criadores da raça, além de donos aficionados e estudiosos sobre o assunto, juízes e árbitros inscritos pela CBKC.

Criador On-line: Neste complexo haverá treinamentos como Game Dog, Agility e outros. Você poderia listar todos os treinamentos que serão disponibilizados?

Marcel Esteves: Tudo o que for treinamento e adestramento para cães irá existir, desde que hajam interessados...
Hoje ainda não há padrões e regras regulamentadas para a prática do esporte que o Pit Bull melhor pratica (tração, escalada, salto livre e outros). Já o Agility é regulamentado e já há muito tempo praticado em vários países. Existem, inclusive, modalidades em que somente uma raça compete, como no caso o “Border Colie”, considerado o cão mais inteligente do mundo.
Existem várias modalidades hoje do chamado “Game Dog”. Dentre as mais comuns, podemos citar a escalada, quando ganha o cão que conseguir atingir a maior altura escalando um muro, ou um aparelho vertical; o salto livre, que ganha o cão que atingir a maior altura saltando do chão sem auxílio de nenhum apoio; salto em distância, que ganha o cão que saltar mais longe à partir de um obstáculo para impulsão; a tração, sendo campeão o cão que puxar um certo peso ou proporcional ao seu próprio peso (de acordo com o regulamento da prova), numa determinada distância no menor tempo. Mas existem outras modalidades que o cão pratica, como natação, mergulho, escalada em árvore, skate dog, bike dog, cabo de guerra (dois cães disputando um objeto) mordedura (quanto mais tempo o cão agüentar pendurado pela boca – mordendo um objeto). Há também, provas de treinamento de ataque e defesa de cães, que passa também pela obediência. São as chamadas provas de trabalho.
Enfim, são inúmeras as modalidades que existem, e que podem vir a existir, desde que alguém a invente, não ponha em risco a saúde do animal, e que este consiga praticar regularmente. Não há como listar, então, todas as modalidades e treinamentos existentes, já que algumas ainda não possuem regras comuns, e outras que ainda poderão ser criadas.

Criador On-line: O que é exatamente o Game Dog? Qualquer raça pode participar ou é restrito ao American Pit Bull Terrier?
Marcel Esteves: “Game Dog” nos Estados Unidos, é uma expressão sinônima de RINHA. Aqui, transformaram a expressão para a prática de brincadeiras e modalidades de exercícios para cães. O “Game Dog”, ou esporte para os cães, nada mais é que uma brincadeira onde eles (os cães) se superam e ultrapassam limites que normalmente não ultrapassariam sem o incentivo de seus donos, na busca de seu brinquedo preferido. É considerado esporte, hoje, pelo treinamento específico para campeonatos.
Antes mesmo de o Pit Bull ser conhecido popularmente no Brasil, em 1994 quando eu criava Dobermann, já fazia escalada com o Killer (meu falecido cão) e sua irmã Jane (também falecida), que desempenhavam a brincadeira muito bem. Fazíamos os animais subirem uns barrancos enormes, de quase 90º verticais. E era também muito bonito de assistir.
Assim, como se vê, outras raças também podem fazer, basta ter persistência do dono em ensiná-los e incentivá-los.
O diferencial do Pit Bull, assim como os Bulls Terriers, é que são cães preparados para vencer. Como eram cães originalmente criados para as rinhas (competições de disputas corporais entre dois cães, que poderiam chegar em alguns casos em morte de um dos combatentes), somente os melhores procriavam, sobressaindo assim, as ninhadas de vencedores. Foram sendo selecionados os melhores cães vencedores, e, portanto, essas raças trazem na genética, a determinação e obstinação quanto ao resultado pretendido. O Pit Bull enquanto não consegue aquilo que pretende, não sossega !
Por isso é tão fácil treinar essas raças para a prática destas modalidades esportivas.

Criador On-line: Alguns afirmam que o Game Dog incita violência sem controle e propicia uma maior facilidade para a fuga do cão. O que pensa a esse respeito?
Marcel Esteves: Por mais que possa parecer lógico e evidente, em função da habilidade, força e determinação adquirida em função dos treinamentos, a prática destes esportes não incita e violência, ao contrário, direciona sua energia e obstinação, tudo em conformidade às ordens de seu dono, propiciando maior controle.
O cão é condicionado, sempre, a buscar um objeto, que é um brinquedo que mais gosta, sendo sempre condicionado com o mesmo brinquedo. Desta forma, o cão, quando vê seu brinquedo, fica muito empolgado para pegar somente o brinquedo. Tanto é, que nas provas, ficam vários cães próximos do local onde o cão esta praticando (o que eu não concordo), e este nem toma conhecimento dos demais cães, só quer saber de pegar o seu brinquedo. Fomos a uma competição em Mogi Guaçu, domingo dia 04 de Abril, onde os cães que estavam lá para tão somente passear com seus donos, assim como os que estavam para competir, conviviam harmoniosamente, não esboçando nenhum tipo de agressão uns com os outros.
Outra coisa, é que o treinamento destas modalidades exercita principalmente o controle.
É o dono que detém o poder de mandar seu cão buscar o brinquedo. E aqui enfatizamos, sempre o brinquedo, jamais pessoas ou outros cães. Assim, não há porque os cães se tornarem violentos, à não ser que incentivados.
Outra observação importante, é que são cães, não pensam, seguem seu instinto. Desta forma, alguns podem ter uma personalidade mais forte que outros, e não se demonstrarem tão amigáveis. Mais uma vez, cabe aos donos coibirem eventual agressividade de seus cães e os direcionarem, de forma a controlar seu temperamento.
Em relação à fuga, também trata-se de aspecto pessoal e singular. Meu cão, por exemplo, não pula meu muro lateral com o vizinho (que possui dois cachorrinhos), que é baixo (menos de 2 metros) porque nunca o incentivei a isto. Ele (o Black Hawk – meu Pit) salta, livre, mais de 2 metros. Em escalada nem sei, mais é bem mais que isto. Então, ele é condicionado a saltar em lugares que eu determino, quando eu determino. Para isto existe um treinamento sério e eficiente.
Agora, se seu cão é um cão muito energético, com um alto “gameness”, e você percebe que está tentando fugir atrás de outros cães ou gatos, mesmo sem sua autorização, então este cão requer uma atenção especial, com um adestramento e correção adequada, métodos capazes de coibir tal atitude, orientação e correção esta que pretendemos levar ao associado.
Como dito, o cão é aquilo que o dono quer, ou deixa que ele seja!

Criador On-line: Durante as apresentações de Game Dog é necessário asfixiar o cão para que este largue o objeto que está mordendo. Porque ele não responde aos tradicionais comandos de “solta” ou “larga” tão amplamente utilizados em outros tipos de treinamento como o de Guarda e Proteção?
Marcel Esteves: O cão é asfixiado pela falta de paciência e persistência do dono!
O Killer, Pit Bull do “Canil Killer”, em Santo André - SP, por exemplo, é um cão que obedece perfeitamente ao comando “solta” ou “larga”. Meu cão também solta e outros cães que pude conhecer também soltam pela expressão e determinação do seu dono.
Como dito, o Pit Bull é um cão persistente, e o brinquedo pra ele, é a sua meta. Assim, depois que ele pega, não quer largar mesmo... Mas o importante é ensinar o cão que ele está largando o brinquedo para pegar outra vez, que a brincadeira não é pegar o brinquedo, mas sim alcança-lo.
Mesmo assim, se o cão não tende a largar, existe, em relação à soltura da mordedura um equipamento próprio p/esta situação chamado de (Break stick). É um bastão de aproximadamente 40 cm de comprimento por 5 cm de largura em formato de cunha.

Criador On-line: Em caso de ataque acidental a uma pessoa, um cão que pratique Game Dog teria também que ser asfixiado para largar a pessoa?
Marcel Esteves: Um ataque acidental sempre é uma problemática, porque o cão está “Por ele”, geralmente não está na presença do dono.
Mas o cão bem treinado, seja ele de qualquer raça, deve obedecer ao comando do dono do “pára” ou “não” e do “solta” ou “larga”. Um cão bem treinado, não ataca uma pessoa sem que seja determinado, ou sem que haja um grande motivo para isto (a pessoa “tirá-lo do sério” sem a presença do dono), ou entrar em seu território sem que seu dono consinta.
Da mesma forma que o cão deve largar o brinquedo na pratica do “Game Dog”, deve também largar no caso de um ataque acidental. Ocorre que no Game, o cão morde geralmente um pneu, e você pode ter tempo para ficar “convencendo” seu cão verbalmente a largar o brinquedo. No caso de ataque acidental, você não tem tanto tempo assim. Não é um brinquedo que está na boca de seu cão, mas sim uma parte do corpo de alguém. Então se seu cão não larga no seu comando, o meio mais rápido é a asfixia.
E não é só Pit Bull que não larga, que tem o costume de prender com a mordedura. O Pastor Alemão também, o Boxer, o Rottweiler, os cães molossos (Mastin Napolitano, Mastif Inglês, Fila Brasileiro). O que temos que fazer é criar as condições para que não ocorram acidentes, que são sempre lamentáveis.
Frise-se: Pular o muro da casa de alguém que possua um cão de grande porte não é um acidente, é um tremendo descuido de quem pulou!

Criador On-line: Este tipo de apresentação não acaba fixando ainda mais a imagem do Pit Bull como um cão violento e perigoso já tão fixada no imaginário popular?
Marcel Esteves: Não. Todas as pessoas que assistem pela primeira vez uma prova desta, ficam encantadas. É realmente impressionante a vontade que os cães possuem para alcançarem seu brinquedo.
Os donos destes cães também colaboram: quando alguém se aproxima por curiosidade, demonstram para a pessoa que o cão não é violento, momento onde geralmente as pessoas acabam agradando os cães com carinhos e palavras, se convencendo que o “bicho” não é aquilo que dizem.
De uma coisa é certa: As pessoas saem convencidas da obediência e persistência dos animais.
Esta apresentação tem a finalidade principal de conscientizar o dono de cães, mais temperamentais ou não, que os animais precisam de uma atividade saudável, precisam se exercitar, direcionar a energia e até seu temperamento forte, se for o caso.
Se forem bem treinados e educados serão ótimos atletas e dificilmente darão problemas.

Criador On-line: O que vocês estão fazendo ou pretendem fazer para tentar dissociar o Pit Bull da imagem de cão violento que infelizmente está tão amplamente contida na idéia que as pessoas comuns fazem da raça?
Marcel Esteves: A primeira providência é não se intimidar pelo que a mídia diz. Se você possui um cão da raça Pit Bull ou Bull Terrier, ou Rottweiler, ou qualquer outro considerado “perigoso”, desde que realmente não apresente perigo ao público, saia na rua, passeie com seu dog e tente deixar com que seu cão convença os outros que não é um “bicho” perigoso.
Não discuta sobre este assunto com pessoas que não conhecem de animais, pois a discussão somente fortalecerá o entendimento negativo. Não seja agressivo com as pessoas que agridem com palavras seu bichinho, pois isso só aumentará a certeza dos outros, de que seu cão, mesmo não o sendo, passará a ser agressivo porque “o dono é” (você acabará passando a idéia de agressividade).
Outra providência é dar publicidade aos eventos, e mais que isso, passar o conhecimento ao público leigo e principalmente, aos donos dos cães. Isso se fará através de mídias de massa, como jornais, revistas e televisão. Pretendemos televisar, como foi o caso da etapa da “Copa Pit Bull” realizada no centro de convenções da Rodovia Imigrantes, em São Paulo Capital, no início de Março.

O problema não é o cachorro, mas sim o dono.
Se o dono não souber lidar com o animal, este nunca será um cão confiável, educado e obediente.
Desta forma, realizaremos palestras e cursos de forma intensiva para “ensinar” como se cria e se educa um cão, principalmente um cão com um temperamento mais forte. Acredito que, “ensinando” os donos dos cães, os acidentes diminuirão significativamente.
Aliás, isso era um papel do governo. Não adianta aplicar multa ou penalidades e até sacrificar o cão, depois que uma vida é tirada em função de um acidente. Isso de nada adiantará se não houver um trabalho de conscientização e aprendizado na criação do cão, o que nós daremos prioridade!

Criador On-line: Qual a posição da ACAMPIT em relação às rinhas de cães?
Marcel Esteves: Radical!!, Repugnante!! Perseguidora!! Denunciadora!! Nenhum “rinheiro” irá nem pensar em participar da ACAMPIT.
Rinha é crime, e um crime horrendo e cruel. Esta prática, com certeza, está em extinção em nosso pais. Vamos colaborar para fazer com que seja definitivamente erradicada!

Criador On-line: Existe algum projeto por parte da ACAMPIT para ajudar a combater as rinhas de cães que infelizmente são uma realidade no Brasil?
Marcel Esteves: Ainda não pensamos num “projeto”, mas certamente o criaremos em conjunto aos promotores, policias, juizes e membros da sociedade protetora dos animais e da população de forma geral.
Acho que o incentivo à denúncia, de forma ampla, é uma prática de resultado! Já existe um trabalho no Rio, praticado pela presidente do Pit Bull Club do Brasil, a Renata, que retira os cães das rinhas e o direcionam para o Game. Iremos trabalhar da mesma forma.
Porque não se apostam nos cães de “GAME DOG”, como se apostam nos cães de rinha? O objetivo é o lucro da aposta, ou a violência em si?

SOBRE O CANIL

Criador On-line: Você possui um canil?
Marcel Esteves: Ainda não criamos nosso canil. Contamos hoje, entre os membros diretores da associação, com alguns exemplares da raça. Eu, particularmente, crio Pit Bull desde junho de 2003, mas existem membros da associação que, por exemplo, criam a raça há 10 anos.

Criador On-line: Você cria alguma raça específica?
Marcel Esteves: Eu somente tenho Pit Bull, mas outras pessoas da diretoria da e membros da associação criam Rottweiler, Bull Terrier, Dobermann, Labrador, entre outras raças.

Criador On-line: Por que optou criar Pit Bulls?
Marcel Esteves: Porque o Pit Bull é um cão extraordinário. Criava Dobermann, e sempre o achei um cão notável. Mas o Pit Bull é algo diferente. Quando conheci de perto a raça, fiquei surpreso com sua vivacidade, com sua dedicação para com seu dono, carinho, obediência e principalmente por sua força e determinação. Também porque percebi que é um cão muito maleável, desde que adestrado adequadamente. Se você quiser, pode deixá-lo agressivo, da mesma forma que poderá mantê-lo extremamente dócil e socializado. Por sua determinação e coragem, além da força, seu dono tem de exercer um grande poder de domínio. Não porque o cão se voltaria contra ele, coisa que, alias, nenhum cão faz se não houver um grande motivo. Mas porque o dono tem de manter um bom controle sobre suas reações, que são rápidas e destemidas.

Criador On-line: Quantos padreadores você possui?
Marcel Esteves: Estamos criando nossos cães (eu e os membros da associação) de forma a atender os vários tipos de linhagem. Por exemplo, adquirimos recentemente um filhote da linhagem Thompson, descendente do Hook (famoso cão da raça). Este cão será o padreador desta linhagem de sangue. Outro criador possui uma cadela da Linhagem Old Family Red Nose, que será a matriz dos cães desta linhagem, mais finos, leves e com um gameness muito alto, excelente para a prática esportiva. Outro membro da associação possui um lindo cão da Linhagem do Woodsbaro, que assim como os cães da Old Family, são mais leves. Estes porem mais fortes e com pouca gordura corporal, também com o gameness elevado, muito bom para a prática esportiva.

Criador On-line: Quantas matrizes você possui?
Marcel Esteves: Como anteriormente dito, pretendemos manter os padrões das linhagens mais conhecidas e para tanto, teremos de iniciar uma criação com os cães que possuímos, cruzando-os com outros exemplares da mesma qualidade para então iniciarmos nosso próprio plantel.

Criador On-line: Onde você mantém sua criação?
Marcel Esteves: Na Rodovia Anhanguera, Km 74, na cidade de Vinhedo – SP, entre os trevos de Vinhedo e Louveira.
Já possuímos filhotes de American Pit Bull Terrrier da linhagem Thompson, e de Bull Terrier disponíveis para venda.

Criador On-line: Qual a principal linha de sangue do Canil?
Marcel Esteves: Em função de estarmos voltados à prática de esportes para os cães, pretendemos seguir ou “criar” uma linha de sangue de melhor performance ao esporte. Mas não deixaremos de criar outras linhas de sangue para atender ao gosto dos futuros donos do American Pit Bull Terrier.


CONSIDERAÇÕES FINAIS


Marcel Esteves: O cão é o mais antigo amigo do homem. Ele vem evoluindo na mesma proporção e nos acompanhando, nos ajudando, alegrando e nos protegendo desde a época mais remota. Infelizmente, a loucura e violência humana (animal mais violento no mundo – o homem), fez criar cães com instintos que pudessem chegar próximos à violência desmedida e ilógica do próprio homem.

Felizmente, o Homem não conseguiu...

Cabem a nós, pessoas de bem, aproveitar a parte boa desta criação (temperamento, força, dedicação, obediência, beleza) e direcionarmos esta surpreendente raça (O American Pit Bull Terrier) à pratica de atividades que tragam alegria às pessoas. Todos gostam de ver um belo gol de futebol, de assistir uma olimpíada e ver alguém superando os limites e saltando mais que outro.

E assim deverá ser com os cães...

É emocionante assistir um cão que consegue pegar seu brinquedo apenas 5 cm acima de outro cão. A vibração do dono e a alegria do cão em saber que conseguiu alcançar aquela meta, conseguiu agradar seu dono, é contagiante.
Ninguém nunca ficará feliz em ver um cão destroçando o outro por um benefício cruel e egoísta de bichos que se dizem humanos.

São pessoas que amam os animais, sobretudo os cães, que chamamos a atenção para esta associação, este projeto que tende mudar o modo de criação e visão do cachorro no Brasil.

O cão poderá ser de guarda, de companhia, de caça, “bibelô”, mas nunca agressivo. Sua agressividade tem de ser direcionada e controlada. Se conseguirmos levar à população o conhecimento básico, apenas básico, da forma correta e minimamente adequada de se criar um cão, os acidentes infelizes e trágicos que ocorrem irão diminuir em larga escala.

Agradeço demasiadamente, em nome de todos os membros e futuros associados da ACAMPIT a oportunidade e o espaço, oferecendo em contra partida, todos os préstimos onde pudermos colaborar.

Abraço a todos os amantes dos cães,
Marcel Esteves

 

Voltar ao Início



Jornalista Responsável
Anita dos Santos Gambardella
RP 16.654/SP

Perfil do Entrevistado


Marcel Bertolino Esteves é advogado, cria cães da raça American Pit Bull Terrier desde junho de 2003 e já foi criador de cães da raça Dobermann.


E-mail: contato@acampit.com.br
Web Site:
www.acampit.com.br

Endereço: (escritório) Rua Brasília, nº 205, Centro, Vinhedo – SP.
Telefone: (19) 3876-3347 / cel. (19) 9157-7798

E-mail pessoal Marcel Esteves: marcel.esteves@acampit.com.br

Fotos cedidas pelo Entrevistado

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

PW79-31411