Clique aqui para navergar no Website
 
     
Animal Manager - O site de tecnologia animal - Cães, Gatos, Aves, Peixes, Cavalos, Roedores e muito mais...
INFORMAÇÃO CRIADOR ON-LINE
ENTREVISTAS
  Painel de Controle Cadastre-se Índice Atualizar Voltar  

Suzana Joekel concede entrevista ao Criador
On-line. Ela defende a criação criteriosa de cães seguindo rigorosamente o padrão da raça e não mede palavras quando se refere aos Handlers e Juízes cinófilos. Ela também critica o processo de emissão dos pedigrees pela CBKC.



Leia toda a matéria da entrevista abaixo.


Cascavel, 19 de agosto de 2003 - Entrevistada: Suzana Joekel

Criador On-Line: Por que você começou a criar cães e por que optou pelas raças que cria?
Suzana Joekel: Comecei a criar porque adoro cães e gosto muito dos filhotes, de ver seu desenvolvimento e garantir que, com a minha ajuda, as pessoas tenham bons filhotes. Outra preocupação é que estejam dentro do padrão, com boa formação do caráter, carinhosos, desenvoltos para que quando chegarem ao novo lar eles se sintam como se já vivessem lá, sem timidez.
Optei pelas raças Maltês e Yorkshire Terrier, pela pelagem lisa e longa e também pela sua vivacidade e inteligência.

Criador On-Line: Onde seus cães vivem? Você cuida pessoalmente deles?
Suzana Joekel: Meus cães vivem dentro de casa, todos soltos, não gosto de cães presos em canis. Eu cuido pessoalmente da turminha, só não dou o banho. O banho é dado pela senhora que trabalha em minha casa, trabalho muito bem feito por sinal, pois eu tenho uma "yorkinha", a Tutty, que arrasta sua pelagem no chão uns cinco centímetros. Apenas ela tem a pelagem tão comprida para poder mostrar aos futuros donos de filhotes como fica a pelagem bem cuidada. Eu sempre instruo aos novos proprietários a cuidarem do pêlo corretamente. Os outros cães têm a pelagem comprida, mas não tanto quanto ao da Tutty e os demais têm a pelagem bem curta, especialmente algumas mãezinhas.

Criador On-Line: O que você mais gosta no Yorkshire Terrier?
Suzana Joekel: As características que mais gosto no Yorkshire são: a paixão pelo dono; a pelagem, que é maravilhosa; a independência; a alegria de me ver chegar; a inteligência; a fidelidade, pois aonde eu vou todos vão junto. Outra coisa que me agrada também é que eles não latem à toa. Latem somente quando realmente têm motivos para isso. Seu alarme é verdadeiro!

Criador On-Line: Qual é o ponto forte da raça e qual é o ponto fraco?
Suzana Joekel: O amor incondicional pelo dono, o qual ama com paixão é o ponto forte e o ponto fraco é não gostar de crianças.

Criador On-Line: Você exporta ou importa animais?
Suzana Joekel: Só importei um macho dos EUA uma vez, mas os machos nascidos em minha casa, o Axel e o Bryan, eram melhores padreadores que ele, pela beleza dos filhotes que geram.

Criador On-Line: Como é seu relacionamento com outros criadores da mesma raça? Há troca de informações?
Suzana Joekel: Não há troca de informações, pelo medo deles da concorrência - apesar de haver lugar para todos. Tem criador que até chega a fazer marketing em cima de meus filhotes. Os criadores falam mal uns dos outros. Eu fico neutra, só vendo meus filhotes em casa e para quem realmente vai amar e cuidar bem deles. A troca de informações ocorre nas feirinhas de filhotes das quais eu não participo, para que meus filhotes não peguem doenças. Conseqüentemente, não há troca de informações comigo. Mas se qualquer pessoa me ligar ou escrever, sempre terá uma resposta, mesmo que seja um outro criador. Dou dicas e informações também às pessoas que não as receberam dos canis onde compraram seus filhotes. E isso ocorre com bastante freqüência.

Criador On-Line: Quais são as maiores dificuldades que você tem encontrado durante todo o período que cria?
Suzana Joekel: Uma dificuldade que tenho é vender os machinhos, pois todos querem as "feminhas". Já com as fêmeas ocorre o contrário, cheguei a vender uma filhotinha antes mesmo dela ter sido concebida.

Criador On-Line: Das raças que cria, qual a sua preferida? E por quê?
Suzana Joekel: O Yorkshire Terrier, porque são tão queridos, amados, amigos e lindos.

Criador On-Line: Qual é o seu melhor cão?
Suzana Joekel: A Arianne. Ela é perfeita, minha companheira fiel, faz tudo que eu quero, eu nunca mais vou conseguir outra igual a ela. Além de tudo ela é metida para se apresentar em exposições e adora tirar fotografia. Ela também recebe bem todos os que vêm aqui em casa para comprar filhotes.

Criador On-Line: Você tem cães premiados?
Suzana Joekel: Tenho a Arianne que é Jovem Campeã e Campeã da raça. Quando filhote ela foi reserva da raça por duas vezes.
O Axel também é Jovem Campeão, mas não levo mais meus cães a exposições porque eu percebi que quem ganha o título na realidade não é o cão e sim o handler e como era eu quem apresentava meus cães, não tinha a manha, como dizem, para ganhar deles. Eu acho isso injusto. Há muita safadeza no modo de agir dos handlers. Quando vêm que os cães deles não vão ganhar, usam truques sujos para desmoralizar os cães dos adversários.

Cinofilia

Criador On-Line: O que você acha da cinofilia no Brasil?
Suzana Joekel: Para mim está bem, pois faço tudo direito, com muito critério e honestidade. Todavia sei de muitos cães com pedigree que não poderiam tê-lo. Por exemplo, sei de casos de venda de pedigree para cães que não têm, troca de pedigree de um cão que morreu para um que não tinha. Acho que deveria ter mais rigor ao se tirar o pedigree. Todos deviam seguir o exemplo do meu Kennel, o "Foz do Iguaçu Kennel Club". Temos que fazer vistoria da ninhada com veterinário credenciado pelo Kennel e se o filhote não for perfeito não sai o pedigree para ele. No restante do Paraná e do país, o criador simplesmente preenche o mapa de ninhada e o envia diretamente ao Kennel, não importando se são bons cães ou se existem de fato, ninguém verifica.

Criador On-Line: O que acha das pistas e de seus bastidores?
Suzana Joekel: Há muita preferência pelo handler ao invés do cão. Dos bastidores não há o que dizer, ali são todos amigos, trocam idéias e conversam bastante. É raro ver alguma discórdia no momento. O que há, é que na brincadeira, um diz que seu cão é melhor que outro, mas quem não acha que o seu sempre é o melhor, não é mesmo?

Criador On-Line: O que acha dos Juízes?
Suzana Joekel: Alguns são bem criteriosos e julgam bem, mas a maioria está ali só para cumprir o compromisso.

Criador On-Line: Você acha que o brasileiro em geral possui cultura cinológica suficiente? Ele sabe reconhecer qualidades e defeitos na criação dos cães reconhecendo o bom criador?
Suzana Joekel: Não, o brasileiro ainda não tem uma boa cultura cinológica.
A maioria quer somente um cão de companhia, pedem até sem pedigree, achando que com isso pagarão menos. Mas isso é um erro de vários "criadores", que abaixam muito o preço para se livrarem rápido do filhote. Quem compra só se interessa pelo preço mais baixo, não se importando com a qualidade.
Só depois é que percebem a besteira que fizeram. São muito poucos os que querem um bom filhote, exigindo que ele seja conforme o padrão da raça e que tenha o pedigree. Eu só vendo os meus com seus pedigrees. Afinal de contas é tão barato tirá-lo e, além de tudo, quem paga sou eu. Posso até vender um filhote mais barato, por ser macho e ainda estar comigo além do tempo previsto, mas somente o vendo com o pedigree e para pessoas que valorizam o cão e o respeitam.

Criador On-Line: Você acha o pedigree, por si só, um documento confiável? Ele dá tranqüilidade ao proprietário/criador principiante? Algo deveria ser melhorado?
Suzana Joekel: O pedigree não dá confiança a mim, pois sei como ele é tirado. Eu tive sorte de encontrar pessoas honestas que me venderam bons cães e me ajudaram bastante no início de minha criação. Até trocaram um machinho que ia ser o padreador do meu canil e que era prognata. Eu como principiante não percebi isso e nem eles, pois não era preciso fazer a vistoria de ninhada. Para melhorar deveriam fazer a vistoria da ninhada e que ela fosse feita por um veterinário credenciado, honesto e criterioso, pois há também os que não o são.

Criador On-Line: Na sua opinião as exposições caninas de beleza e de trabalho contribuem de fato para o aprimoramento das raças?
Suzana Joekel: Sim, mas tem que haver uma renovação de muitos juízes, ou reciclá-los.

Criador On-Line: O que acha dos Kennel Clubes em relação à prestação de Serviços?
Suzana Joekel: O meu é bom, mas às vezes tenho que pegar no pé deles para que os pedigrees cheguem logo. Já houve atraso de 10 meses na entrega, isto porque escrevi direto para a CBKC para agilizarem o processo, em seguida o pedigree saiu. Percebi com isso que há um receio dos Kennels em cobrar mais agilidade da CBKC, pois ficam visados e então demoram muito mais. Sei de um Kennel do interior de São Paulo em que a pessoa pagou os serviços e nunca recebeu a transferência do cão.

Criador On-Line: O que você acha que deveria ser feito para popularizar a boa criação de cães de raça no Brasil?
Suzana Joekel: Conscientização de todos os criadores que deveriam ter por obrigação só acasalar bons cães para terem bons filhotes. Eles deveriam acompanhar um pouco a "vidinha" do filhote no novo lar para ver se o filhote ficou como era o esperado - ou seja, se foi um bom acasalamento, ou não. Procurar melhorar o plantel e descartar, no bom sentido é claro, o padreador ou a matriz. Quando digo descartar, não é entregá-los a qualquer um, sacrificar ou encaminhar para a carrocinha, como acontece por aí, me refiro a simplesmente retirar esses cães da reprodução.
Eu fico com todos os meus cães, mesmo não usando mais o Axel como padreador, ele continua comigo. Não o uso mais porque as duas fêmeas compatíveis com ele para acasalamento foram castradas e os três ficarão comigo para sempre.


Saúde e Bem Estar Canino

Criador On-Line: O que acha das feirinhas de filhotes feitas em locais públicos? Elas comprometem a saúde dos bichinhos?
Suzana Joekel: Não gosto dessas feirinhas, elas realmente comprometem a saúde dos filhotes. Muitas pessoas aqui em Cascavel (PR) já compraram filhotes em feirinhas e os perderam ou o filhote não ficou como o prometido pelo vendedor. Às vezes nem de raça pura eles eram, coitadinhos. Tenho dó dos filhotes pela falta de consciência desses "criadores".

Criador On-Line: O que você acha da criação feita com cães em canis? O contato deles com seus donos é suficiente?
Suzana Joekel: O contato não é suficiente. Os cães e os filhotes precisam do contato constante do dono, assim eles ficam mais seguros e tranqüilos. Sentem que fazem parte da vida do dono. É uma judiação eles ficarem a vida inteira confinados em um canil. Os criadores ao menos podiam construir solariuns, para que em parte do dia os cães ficassem soltos, brincando e acompanhando o dono. Assim eles ganhariam e trocariam carinho e brincadeiras com o dono e entre eles mesmos também. Aqui em casa além de ficarem soltos, eles têm também o solarium para tomar sol e brincar. Eles brincam tanto dentro de casa como no solarium e na varanda também. Meus cães têm muitos brinquedos, mesmo sendo adultos, eles se divertem com os brinquedos, espalham tudo e brincam muito entre si. Aqui comigo só ficam presas as mãezinhas com os filhotinhos em um cercado, pois não dá para deixá-los soltos, senão iria ser uma matança de mamãezinha e filhotinhos. Quando os filhotinhos estão com 35 dias eles começam a ficar sozinhos em vários momentos durante o dia e aos 47 dias, adeus mamãezinha, daí começa o treinamento deles para se acostumarem com barulhos diferentes, por exemplo: eletrodomésticos, música, chocalhos, bolinhas com guizos etc, tudo isso eu faço até o dia da entrega e o local é na cozinha, onde eles ficam isolados dos outros cães e podem aprender a ficar desenvoltos, a brincar e a terem liberdade para cheirar tudo, correr bastante e acostumar com o ser humano, pois fico sentada no chão acompanhando tudo e até os ensino a buscar os brinquedos, eles adoram e ficam super espertos. Quando vou apresentá-los às pessoas que vêm vê-los, eles ficam bem à vontade e não estranham ninguém, já brincam e mexem os rabinhos para todos. Sempre ligo no dia seguinte para saber como o filhotinho se comportou e se minha criação e educação estão dando certo e o resultado é sempre positivo, eles nunca choram, nem na primeira noite. Eu só os entrego para o comprador com 60 dias, quando já estão comendo a ração seca e já tendo noção que devem fazer as necessidades no jornal, cabendo ao novo dono terminar o treinamento. Junto com eles eu entrego o Kit filhote da Royal Canin, dois brinquedos e uma pasta com mais de 70 textos sobre a raça, o padrão oficial da CBKC e como cuidar do filhote. E ainda firmo com o comprador um contrato de venda e compra, dando garantia da saúde e da pureza do filhote.

Criador On-Line: O que acha da criação feita em gaiolas?
Suzana Joekel: Horrível e desumana. Nem quero falar sobre isto.

Criador On-Line: Acha que deveria haver "fiscalização" por parte da CBKC sobre os criadores, no que se refere ao bem-estar dos cães?
Suzana Joekel: Acho que isso seria muito bom. Daí sumiriam os criadores de fundo de quintal e começariam a surgir somente cães dentro do padrão da raça, com o comportamento desejável, saudáveis e felizes.

Criador On-Line: Você acha que os criadores brasileiros deveriam investir em abrigos para cães abandonados, evitando assim que eles acabassem morrendo nas ruas, sem cuidados e sem afeto?
Suzana Joekel: Sim. Se eu pudesse, eu mesma faria isso, mas infelizmente não tenho condições. Quando os vejo na rua até viro o rosto para não ver tanto sofrimento, me aperta o coração.


Genética

Criador On-Line: Acha que a criação nacional do Yorkshire, como um todo, é boa? O plantel brasileiro está melhorando ou piorando?
Suzana Joekel: No Brasil só tem bons yorkshires em alguns canis. Eu não sei se o plantel nacional está piorando, mas sei que no geral não está melhorando. Como as pessoas querem Yorkshire diminuto, os criadores começaram a fazer acasalamentos errados para diminuir o tamanho dos filhotes e isso não é bom.
Eu mesma tenho medo de comprar novas matrizes em qualquer canil brasileiro porque já teve canis bons, mas hoje não há certeza se eles ainda o são.
Eu, para mudar a linha de sangue, comprei duas yorkies do Rio e elas são bonitas. Não têm o pelo ideal, mas acasalando-as com o Bryan, meu padreador, os filhotes ficam lindos.

Criador On-Line: O que você pensa do uso de aparelhos ortodônticos usados para corrigir defeitos na mordedura colocados em cães reprodutores? Esses cães deveriam ser castrados ou esterilizados para não perpetuarem o mal genético?
Suzana Joekel: O uso do aparelho não vai corrigir o problema geneticamente, portanto sou contra, pois o cão vai participar de exposição e será perfeito, mas e seus filhotes? Concordo que deveriam ser castrados ou esterilizados.

Criador On-Line: O que acha da reprodução indiscriminada, sem critérios, feita por criadores ou proprietários que desconsideram o Padrão da Raça?
Suzana Joekel: Acho terrível isso. Aqui, em Cascavel, tem uma criadora que tem um canil muito limpo e com cães bem cuidados, mas ela desconhece totalmente o padrão da raça. Nesse canil tem filhotes de yorkshire com manchas brancas no queixo, no focinho, nas patinhas e no peito. No padrão isso não é citado, portanto é inadmissível.
Encontrei um dia na Clínica, uma senhora com um filhote com essas manchas brancas, comprado em Santa Catarina. Ela disse que comprou justamente aquele, porque a criadora disse a ela que era o yorkie que tinha a melhor pelagem. Isso é o cúmulo do absurdo.

Criador On-Line: Acha que a CBKC dá aos criadores informações e auxílio necessário para que haja o aprimoramento das raças?
Suzana Joekel: Não. Para início de conversa a CBKC nem gosta que os criadores entrem em contato direto com eles. Temos que nos dirigir aos nossos kennels e esses se reportarem a ela. Tudo que aprendi sobre as raças que crio, foi com o criador que me vendeu as primeiras matrizes, além de eu ler muito, mas muito mesmo. Fiz muita pesquisa a respeito e ainda estou aprendendo.


O Cão na Sociedade

Criador On-Line: A sociedade brasileira reconhece os direitos dos cães e de seus proprietários?
Suzana Joekel: Não. Já fui expulsa, com muita falta de educação, de uma panificadora, por estar com a Arianne no chão. Tenho uma vizinha que implica com meus cães e pergunta por que eu não vendo todos eles. Ela não entende que o criador tem suas matrizes e seus padreadores e que só se vendem os filhotes. A Cocker americana dela fica no fundo do quintal presa numa corda comprida e ninguém vai lá brincar e dar carinho a ela. Mas está mudando, quando eu comecei a criar era pior, quase ninguém tinha o verdadeiro cão de estimação. Hoje em dia você já vê muitas pessoas em seu carro passeando com seu cãozinho junto e tem até hotéis que aceitam cães, são raros, mas tem.

Criador On-Line: A imprensa brasileira contribui para a criação de estereótipos do tipo: raça "X" (cão assassino), raça "Y" (cão mansinho), raça "Z" (cão de madame)? Eles têm conhecimento cinológico suficiente para escrever a esse respeito?
Suzana Joekel: A imprensa não tem nenhum conhecimento cinológico, pois quem faz o cão é o dono. Se o cão é assassino, foi o dono que o fez ficar assim. Se ele tivesse sido criado com carinho, amor, respeito e ter sido bem educado, não seria assim, seria um cão mansinho, como muitos e o mesmo acontece com o cão mansinho e o de madame, se forem criados como o cão assassino, também serão iguais. Eu vendo cão de madame e meus amigos me perguntam por quanto eu vendo um filhote. Quando eu digo o preço, eles ficam horrorizados e me questionam como é que podem existir pessoas que paguem "tanto" por um cão.

Rinheiros

Criador On-Line: O que você acha das rinhas de cães e das pessoas que participam delas?
Suzana Joekel: Tenho horror a isso e muita dó dos cães que tem que participar disso. Essas pessoas não são humanas e sim "seres animais racionais", porque ao chamá-los de seres irracionais estaríamos ofendendo os cães em geral, que na maioria são mais humanos que qualquer um.

Utilidade

Criador On-Line: Enfim, o que você recomendaria para quem está iniciando na criação de cães?
Suzana Joekel: Recomendo muita calma e não ir com muita sede ao pote, porque se for criterioso, der a melhor ração, o melhor vermífugo, levar ao melhor veterinário e vender somente para boas pessoas, não vai poder viver da criação de cães.
Procurar também bons criadores para comprar seu padreador e suas matrizes e não ter vergonha de pedir ajuda, dicas ou conselhos quando precisar, porque vai precisar.
Procurar conhecer o canil de onde está comprando seus cães. Se for criar raças pequenas é bom ter seu próprio padreador, pois como as ninhadas são pequenas e ao se emprestar um padreador, terá que dar um filhote para o dono do macho. Se nascerem dois filhotes, terá que dar metade da ninhada para o dono do macho, não é mesmo? Agora, se for de raça média ou grande já não é preciso ter o padreador, pois as ninhadas são grandes. Mas também se gasta mais com a manutenção das matrizes. Enfim, tem que gostar e não pensar em ter uma "fábrica de cachorros", porque daí não terá bons cães para vender e nem poderá pedir muito pelo filhote, além de estar contribuindo para piorar a qualidade dos cães no Brasil.
Antes de iniciar a criação você deverá adquirir conhecimentos sobre a raça escolhida. Dispor de tempo e condições financeiras para investir no que considerar de maior interesse e importância para o aperfeiçoamento de sua criação.
A responsabilidade e o senso de continuidade diferem um verdadeiro criador de um "fabricante" de filhotes.

Criador On-line: Faça suas considerações finais
Suzana Joekel: A criação criteriosa de animais assemelha-se a uma arte, onde o respeito, carinho e o conhecimento técnico são igualmente importantes.
Atualmente existem muitas pessoas se intitulando como criadores de cães, embora não tendo consciência de que para isso ser verdade precisariam ter profundo respeito pelos animais que criam e também pelas pessoas que receberão os filhotes de sua criação. O verdadeiro criador só entrega o animal depois de assegurar-se de que o adquirente e o animal combinam. Esse exame e essa seleção darão a certeza de que ele não estará contribuindo para o aumento do número de cães abandonados.
Embora se tenha despesa para oferecer os melhores cuidados para os filhotes, o criador jamais se desfazerá de um animal sem assegurar-se de que ele estará tão bem ou até melhor do que com ele. Mesmo depois da entrega, o criador deveria continuar a ter o maior interesse em ver o desenvolvimento do filhote, enfim a continuidade da obra que ele, com muito amor, iniciou.

Voltar ao Início



Jornalista Responsável
Anita dos Santos Gambardella
RP 16.654/SP
Perfil da Entrevistada
Suzana Joekel desde 1993 tem como profissão à criação séria e consciente de cães das raças Yorkshire Terrier e Maltês, em sua casa na cidade de Cascavel no interior do Paraná.

É criadora zelosa pela sua turminha, como ela mesma chama seus cães, que é composta por dezoito exemplares, dentre eles cinco Malteses e seis Yorkshires, com os quais faz sua criação.

Suzana tem a fidelidade do Yorkshire como ponto forte da raça.

Suzana é ainda a feliz proprietária de Arianne, uma Yorkshire Terrier premiada como Jovem Campeã e Campeã da Raça. Os padreadores de seu canil são: Axel e o Bryan, pela beleza dos filhotes que geram, completa.

Suzana rejeita as feirinhas públicas de filhotes e diz: Não gosto dessas feirinhas, elas realmente comprometem a saúde dos filhotes. E critica a falta de consciência desses ‘criadores’, por não respeitarem nem a saúde, nem o padrão das raças que criam.

Ela tem verdadeiro horror as rinhas de cães criticando veementemente seus participantes humanos.




E-mail para contatos:
yorklands@yahoo.com.br

Website:
www.criadoronline.com.br/yorklands



"A criação criteriosa de animais assemelha-se a uma arte, onde o respeito, carinho e o conhecimento técnico são igualmente importantes" ensina Suzana Joekel.

Arianne 
"Tenho a Arianne que é Jovem Campeã e Campeã da raça" orgulha-se.


Arianne 

 

"Há muita safadeza no modo de agir dos handlers. Quando vêm que os cães deles não vão ganhar, usam truques sujos para desmoralizar os cães dos adversários"
queixa-se ela.


Mel 

"O criador simplesmente preenche o mapa de ninhada e o envia diretamente ao Kennel, não importando se são bons cães ou se de fato existem, ninguém verifica" revolta-se a criadora.


Axel 

"O Axel também é Jovem Campeão, mas não o levo mais a exposições porque eu percebi que quem ganha o título na realidade não é o cão e sim o handler" diz Susana Joekel.


Tutty 

 

Sobre os Juízes Cinófilos: "Alguns são bem criteriosos e julgam bem, mas a maioria está ali só para cumprir o compromisso",
inconforma-se ela.

Nina

"O brasileiro ainda não tem uma boa cultura cinológica"diz Suzana.


Tutty 

 

"Quem compra (um filhote) só se interessa pelo preço mais baixo, não se importando com a qualidade", completa.

Arianne 
"...os filhotes precisam do contato constante do dono, assim eles ficam mais seguros, tranqüilos e sentem que fazem parte da vida dele", fala.


Mel 

"...quem faz o cão é o dono, se o cão é assassino, foi o dono que o fez ficar assim..."












Fotos cedidas pela Criadora

 

PW49-13900